A janta

Olhou para o relógio pela décima vez enquanto sentada no ônibus esperava chegar ao ponto onde deveria descer. “Estou bem atrasada” pensou. O trânsito não andava e decidiu descer antes e ir caminhando porque a impaciência era algo que fazia parte dela.
Saltou depressa no veiculo e andou a passos largos até a porta da sua casa que ficava em um bairro mais afastado do agito. Era um pequeno sobrado todo branco e com as janelas pintadas de azuis, era ali que ela encontrava conforto, segurança e paz.
Abriu a porta e já foi apressada começar a preparar tudo, resolveu cozinhar o prato predileto dele e se tivesse tempo iria caprichar na sobremesa, ele adorava seu creme de avelãs com chocolate e a data merecia algo especial. Ligou o som, se serviu de uma taça de vinho e começou a separar os ingredientes, entretida em dourar cebola, separar temperos, colocar o creme para gelar e fazer tudo sair perfeitamente bem nem ouviu as inúmeras vezes que o telefone tocou.
“Pronto” pensou ela, faltava somente arrumar a mesa e ela não poderia esquecer as velas e o arranjo de flores frescas que comprou para colocar no vaso que ganhou dele quando completaram 1 ano de relacionamento. Depois de um longo banho, escolheu usar o vestido que ele mais gostava, arrumou os cabelos e se maquiou. Ao olhar se olhar no espelho viu que estava linda e com tudo em ordem. Procurou seu relógio e viu que já estava quase na hora dele chegar.
Se ajeitou no sofá e começou a folhear uma revista enquanto esperava. Ficou atenta a cada barulho vindo da rua e sempre que achava que era ele espiava pelo canto da janela. Sentou, levantou, se arrumou de novo, trocou o batom e nada. “Estranho, ele não demora tanto para chegar” disse pra si mesma. Arriscou ligar no celular dele, ligou uma vez, duas vezes, três vezes e só caia na caixa postal, começou a se preocupar.
E de repete uma onda de pavor e medo chegou causando estrago, começou a sentir frio e se deu conta entre lágrimas e soluços que ele não chegaria naquele dia e em nenhum outro dia porque ele tinha ido embora para sempre em um brusco e estúpido acidente de carro e o fato dele não existir mais era algo que ela jamais iria conseguir aceitar.

One thought on “A janta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s