Quando dá certo

Ela pensava em estudar francês, ele queria aprender alemão. Ela toca piano clássico e ele era guitarrista de uma banda de rock metal. Ele era um individuo carnívoro e ela era vegan assumida. Mas o que tinha tudo para dar errado, deu certo.
Eles encontraram nas suas diferenças a motivação ideal para fazer as coisas fluírem. Tinham suas brigas, discutiam para ver quem apagava a luz antes de dormir, travavam uma batalha pelo último gole de café velho na cafeteira e uma terceira guerra mundial explodia se ele se esquecesse de trazer uma barra de chocolate da padaria.
As tarefas da casa eram divididas em comum acordo: ele cozinhava, ela lavava a louça. Ela varria e ele tirava o lixo. Segunda-feira dormiam cedo porque odiavam esse dia. Terça-feira era o dia em que compartilhavam suas leituras e seus textos. Quarta-feira era o dia do cinema e vinho. Quinta-feira era o dia do sofá. Sexta-feira dia de sair com os amigos. Sábado dia da faxina e Domingo dia da preguiça.
Criaram a rotina deles, o mundo deles e não enjoavam. Surpresas era sempre presente. Ela amava quando ele trazia uma rosa roubada do jardim do vizinho e ele se apaixonava ainda mais por ela quando encontrava um bilhete escondido dentro da sua mochila.
Partilhavam sonhos, brigas, esperanças, tristezas e vitórias. Eram duas pessoas opostas que se amavam incondicionalmente. Eram duas pessoas que um dia depois de se conhecerem decidiram simplesmente amar, afinal, para eles o amor só existe, só acontece e só dá certo quando você escolhe fazer ele acontecer.

Ela pensava em estudar francês, ele queria aprender alemão. Ela toca piano clássico e ele era guitarrista de uma banda de rock metal. Ele era um individuo carnívoro e ela era vegan assumida. Mas o que tinha tudo para dar errado, deu certo.

Eles encontraram nas suas diferenças a motivação ideal para fazer as coisas fluírem. Tinham suas brigas, discutiam para ver quem apagava a luz antes de dormir, travavam uma batalha pelo último gole de café velho na cafeteira e uma terceira guerra mundial explodia se ele se esquecesse de trazer uma barra de chocolate da padaria.

As tarefas da casa eram divididas em comum acordo: ele cozinhava, ela lavava a louça. Ela varria e ele tirava o lixo. Segunda-feira dormiam cedo porque odiavam esse dia. Terça-feira era o dia em que compartilhavam suas leituras e seus textos. Quarta-feira era o dia do cinema e vinho. Quinta-feira era o dia do sofá. Sexta-feira dia de sair com os amigos. Sábado dia da faxina e Domingo dia da preguiça.

Criaram a rotina deles, o mundo deles e não enjoavam. Surpresas era sempre presente. Ela amava quando ele trazia uma rosa roubada do jardim do vizinho e ele se apaixonava ainda mais por ela quando encontrava um bilhete escondido dentro da sua mochila.

Partilhavam sonhos, brigas, esperanças, tristezas e vitórias. Eram duas pessoas opostas que se amavam condicionalmente. Eram duas pessoas que um dia depois de se conhecerem decidiram simplesmente amar, afinal, para eles o amor só existe, só acontece e só dá certo quando você escolhe fazer ele acontecer.

2 thoughts on “Quando dá certo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s