E ela espera … sentada!

Ela não queria mais amar, mas amava. Por mais que ele não merecesse, por mais que tivesse outra. Por mais que tivesse sido traída. Por mais que tudo que viveu tivesse sido uma mentira. Ela amava. Ela sentia falta. Ela se importava.
Era a noite que sentia mais falta. Quando ficava sozinha sentada no sofá olhando para a parede branca do seu apartamento que a saudade batia, que seu peito doía e que as lágrimas surgiam. Planos desfeitos, sonhos destruídos, coração em pedaços. Ela continuava amando na mesma intensidade que antes. Ainda ouvia sua voz chamando-a de amor, sentia seu perfume quando abria o guarda-roupa e às vezes tinha a impressão que ele a abraçava antes de dormir.
Os livros, discos e fotos ainda estavam lá. Os recados deixados no espelho do banheiro foram retirados e colocados em uma caixa, as correspondências ainda chegavam e carregava vestígios dele por todo lugar porque ela ainda amava.
Ela espera pelo momento que vai voltar a ser quem sempre foi. Aguarda pelo dia que vai tornar a acreditar que o amor existe e que pode dar certo. Hoje, carregava no pescoço a única coisa que restou, as alianças, porque um dia ela espera que tudo faça sentido de novo. Um dia quem sabe, pensava.

Ela não queria mais amar, mas amava. Por mais que ele não merecesse, por mais que tivesse outra. Por mais que tivesse sido traída. Por mais que tudo que viveu tivesse sido uma mentira. Ela amava. Ela sentia falta. Ela se importava.Era a noite que sentia mais falta. Quando ficava sozinha sentada no sofá olhando para a parede branca do seu apartamento que a saudade batia, que seu peito doía e que as lágrimas surgiam. Planos desfeitos, sonhos destruídos, coração em pedaços. Ela continuava amando na mesma intensidade que antes. Ainda ouvia sua voz chamando-a de amor, sentia seu perfume quando abria o guarda-roupa e às vezes tinha a impressão que ele a abraçava antes de dormir.Os livros, discos e fotos ainda estavam lá. Os recados deixados no espelho do banheiro foram retirados e colocados em uma caixa, as correspondências ainda chegavam e carregava vestígios dele por todo lugar porque ainda amava. Ela espera pelo momento que vai voltar a ser quem sempre foi. Aguarda pelo dia que vai tornar a acreditar que o amor existe e que pode dar certo. Hoje, carregava no pescoço a única coisa que restou, as alianças, porque um dia ela espera que tudo faça sentido de novo. Um dia quem sabe, pensava.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s