IMG_3361

Experience

Aperte o play antes de ler!

E cá estou sentada no meu quarto compartilhado, usando fones de ouvidos e minha única fonte de luz é uma pequena luminária no lado direito da minha escrivaninha. Deixe-me continuar nesta posição por alguns momentos enquanto minha mente resgata algumas memórias de quando tudo isso começou.

Ainda não sei exatamente quando foi. Sei que em uma noite clara em São Paulo eu me debrucei na enorme janela do meu apartamento no Copan, respirei o ar gelado e observei o céu estrelado por alguns momentos. Alguma coisa estava errada e eu não sabia o que era.

Percorri meu pequeno apartamento ajeitando tudo, trocando os móveis de lugar e a sensação de que algo precisava mudar martelava insistentemente me minha mente. Mas, o quê? Eu tinha um bom emprego, vivia o auge da minha profissão, morava no lugar que sonhei desde criança, tinha os amigos mais lindos do mundo, a melhor família do planeta, dois sobrinhos imensamente incríveis, finalmente tinha colocado o blog sobre o Copan no ar e se me faltava algo era um namorado, coisa que não queria naquele momento.

Mas, então de onde vinha esse vento de mudança que passava em minha mente sem parar? Sinceramente, não sei até hoje. Sei que o vento soprou pelos meus poros durante boas semanas até que outro pensamento começou a corroer minha mente: Não quero mais continuar com a vida que levo, não sei mais se quero continuar sendo o que sou. Quero experimentar outras coisas, conhecer novas pessoas, viajar, fazer novos amigos, viver algumas aventuras.

Lidei com isso mais alguns dias. Era insuportável porque era algo insano para os outros e importante demais para mim. Precisava disso, queria isso! Vinha tentando me convencer que essa crise era normal, estava beirando os trinta anos. Tentava me auto subornar de que esse sentimento de mudança era algo comum em quem estava fechando um ciclo e começando outro.

Conseguia afastar toda essa vontade da minha cabeça durante o dia, mas à noite quando ficava sozinha em casa ela me consumia e tudo se tornava uma verdadeira catástrofe! Pensava nisso no chuveiro, enquanto cozinhava, assistindo TV, lendo um livro, tomando um vinho e quando colocava minha cabeça cansada no travesseiro e achava que tudo ia embora eu sonhava.

Em meus sonhos eu andava descalça por lugares que jamais conheci, rostos desconhecidos me cumprimentavam, provava novas comidas e falava outras línguas. Nos meus sonhos minha pele brilhava, meu cabelo crescia e meu sorriso se tornava mais franco, aberto e suave. De repente, me sentia leve e flutuava por um enorme mapa que me apontava sempre para o mesmo lugar: Londres.

Acordava confusa e sempre em paz. Pode parecer delírio, o que não deixa de ser. Mas, era isso que acontecia noite após noite. E aí aconteceu.

Minha irmã mais nova passou um ano em Londres como voluntária de uma instituição. Cheguei a visitá-la por alguns duas e ela estava de volta ao Brasil tinha algumas semanas, em minha férias por lá convivi um pouco com a vida que ela estava tendo e confesso que muitas vezes imaginei fazer o mesmo. Sempre que conversava com ela a respeito disso, ela me desencorajava a preencher os enormes formulários de candidatura. “Pra que você vai fazer isso? Tem uma vida incrível e perfeita aqui!” era sempre isso que me dizia e eu tentava acreditar.

Até mesmo seu namorado húngaro (que ela conheceu durante seu ano lá) me dizia coisas semelhantes. Os argumentos poderiam parecer bons, mas não me convenciam. Imprimi todos os papéis que precisavam ser preenchidos e então, num domingo qualquer, num rompante de ansiedade e medo preenchi, enfiei tudo em um enorme envelope branco, lacrei e postei no Correio.

O endereço? Lee Abbey London. O remetente? A menina que mente que medo não sente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s